Apresentação CDPHE

O debate acerca da importância das fontes, na área da História da Educação, e os esforços para o desenvolvimento de projetos para levantamento e catalogação das mesmas, seja como acervos documentais, arquivos escolares, fotografias, bibliografias, entre outros, têm sido um movimento importante, em especial a partir dos anos de 1990, no Brasil.

Esta discussão vem ganhando força e espaço na área, juntamente com os novos objetos, fontes, problemas e desafios que a História apresenta, e com sua influência na produção de dissertações e teses nos programas de Pós-Graduação que contemplam Linhas ou Áreas de Pesquisa voltadas para a História e Historiografia da Educação, o que também pode ser observado por meio dos trabalhos apresentados nas Reuniões Anuais da Anped e da Anpuh, além da Sociedade Brasileira de História da Educação.

As publicações a respeito do tema se multiplicam, evidenciando a preocupação com a temática, que se justifica por diversos motivos, dentre os quais pode-se destacar a decepção e a dificuldade que o historiador da educação enfrenta, quando se propõe a investigar um problema cuja fonte principal é um documento que deveria ou está guardado em um arquivo escolar, sob condições precárias, ou está perdida.

Devido a razões administrativas, limitações quanto a infra-estrutura física e de recursos humanos, entre outros, diversos tipos de documentos cuja guarda não tem amparo legal nas escolas, têm sido sistematicamente destruídos. E outros, que deveriam ser guardados, por serem considerados “arquivo morto”, são maltratados e relegados a condições insalubres de conservação, quando não estão dispersos, perdidos, ou não foram também descartados. Essa situação é a regra nas escolas públicas do país, com raras exceções de iniciativas de organização e conservação dos arquivos.

No âmbito das Universidades, as iniciativas em relação às fontes documentais têm se voltado mais comumente para a criação de Centro de Documentação e Memória, que em geral têm proposta que envolve a “reunião, a preservação e a organização de arquivos e coleções […] e de conjuntos documentais diversos […] reunidos sob o critério do valor histórico e informativo, em torno de temas ou de períodos sob o critério do valor histórico e informativo, em torno de temas ou de períodos da história. Trabalha-se, portanto, com informação especializada” (Camargo, 1999, p.50).

Não necessariamente tais Centros mantêm sob sua guarda os documentos, arquivos e coleções com que trabalham, mas podem priorizar sua catalogação e a organização de bancos de dados.

Na área da História da Educação, em julho de 2005 foi realizado o I Encontro de Arquivos Escolares e Museus Escolares, promovido pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. O evento reuniu pesquisadores de vários Estados, interessados em debater e trocar informações e experiências a respeitos de atividades desenvolvidas com Centros de Documentação e Memória, levantamento, preservação, catalogação de arquivos escolares, Museus voltados para a temática educacional, Centros de Memória entre outros, permitindo observar-se muitas iniciativas e a preocupação que têm envolvido a discussão sobre as fontes para a área.

Compartilhando desse debate e das inquietações que ele envolve, a Linha de Pesquisa História e Historiografia da Educação, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná, em reunião de 18 de maio de 2005, aprovou a criação do Centro de Documentação e Pesquisa em História da Educação – CDPHE, que foi posteriormente, aprovado pelo Setor de Educação em 30/06/2005 e pelo PPGE em 01/07/2005.

Considerando o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, inerente à ideia de Universidade, o CDPHE permite que o tema geral História da Educação seja desenvolvido por meio de outras atividades, além da pesquisa, vinculadas à graduação, à extensão, ao envolvimento com a comunidade e ao estabelecimento de parcerias diversas, acadêmicas ou financeiras, para sua promoção.

1Sua sede está estabelecida no Edifício D. Pedro II, na sala 501 – 5º andar.